PARTICIPA! ENVIA AS TUAS DENÚNCIAS PARA porto@pctpmrpp.org
Quarta-feira, 25 de Junho de 2008

Concursos, farsas programadas...

A Direcção da Associação de Promoção Social da População do Bairro do Aleixo, ao tomar conhecimento que se encontra agendado para amanhã, Dia Internacional contra o Abuso e o Tráfico Ilícito de Drogas — 26 de Junho, pelas 10h30, no salão Nobre do Governo Civil do Porto, a assinatura dos primeiros contratos referentes aos Programas de Respostas Integradas (PRI), na sequência da implementação do Plano Operacional de Respostas Integradas (PORI), pelo Instituto da Droga e Toxicodependência (IDT), emitiu o seguinte comunicado aos órgãos de comunicação social que transcrevemos na íntegra e intitulado:


"Assinatura do contrato de financiamento do PRI da Zona Ocidental do Porto – bairros de Lordelo do Ouro"


Entre os contratos que serão assinados amanhã, encontra-se o financiamento do Programa de Respostas Integradas da Zona Ocidental do Porto – bairros de Lordelo do Ouro, nos quais se inclui o bairro do Aleixo.

A nossa Associação, com provas dadas no âmbito da Prevenção Primária da Toxicodependência, com vários projectos desenvolvidos nesse domínio neste bairro, com resultados positivos (em 1500 moradores apenas uma percentagem muito reduzida, que nem chega aos 5%, enveredou pela toxicodependência) avançou com uma candidatura a esse financiamento, intitulada INPAR – Integrar, Prevenir, Aprender e Ressocializar.

Ao mesmo tempo, uma outra instituição da freguesia, a Agência de Desenvolvimento Integrado de Lordelo do Ouro (ADILO), apresentou também, ao mesmo Eixo do PRI da Zona Ocidental do Porto – bairros de Lordelo do Ouro (Eixo da Prevenção), uma candidatura concorrente à nossa, tendo sido o projecto APROVADO pela Comissão de Selecção Regional do Norte do IDT.

Nesse sentido, no passado dia 12 de Junho, fomos notificados pela referida Comissão que a nossa candidatura tinha sido reprovada.

Através dessa notificação, foi-nos também concedido um prazo de dez dias, nos termos do Código de Procedimento Administrativo (CPA), artigo100º e seguintes, para que nos pronunciássemos.

Logo no dia seguinte, quando nos dirigimos à Delegação Regional do Norte do IDT para, nos termos do artigo 101º, n.º 2 do CPA consultarmos o processo que conduziu à reprovação do nosso projecto e à aprovação da candidatura da ADILO, iniciaram-se uma série de peripécias que apenas serviram para dificultar a nossa pronúncia, de tal forma que foi apenas na passada segunda-feira, depois de várias diligências e contactos realizadas por nós, que recebemos uma resposta da dita Comissão de Selecção, informando-nos que o processo estava à nossa disposição.

Assim sendo, encontrando-se a nossa Associação em processo de pronúncia e reclamação, de acordo com a Lei, consideramos inaceitável que a Delegação Regional do Norte do IDT anuncie a assinatura do contrato de financiamento do PRI da Zona Ocidental do Porto – bairros de Lordelo do Ouro.

A questão que se coloca é saber, afinal, como pode o IDT assinar esse contrato de financiamento quando o período de reclamações ainda não terminou e a nossa Associação ainda não se pronunciou.

Aliás, estas jogadas levam-nos a suspeitar que as decisões já estavam previamente tomadas, tudo programado e de que nada servirá as nossas reclamações.

No fundo, mais uma vez fomos usados pelos "espertos" que recorreram à nossa Associação para proceder ao estudo do território, imprescindível ao PORI, para solicitar a realização de parcerias (que aceitamos com boa intenção) para depois verificar que privilegiaram os projectos que criam gabinetes e dão lugar aos técnicos.

Acreditamos nas pessoas, abrimos as portas do bairro aos técnicos do IDT, fornecemos dados, estabelecemos parceiras, para verificar que fomos atraiçoados.

Além disso, aproveitamos para demonstrar a nossa total insatisfação perante a decisão da Comissão de Selecção do IDT, porquanto consideramos incompreensível que tendo o bairro do Aleixo os problemas que todos bem sabemos, a Associação de Moradores, única instituição implantada no terreno, tenha sido afastada deste Programa.

Mais ainda, a instituição vencedora tem em desenvolvimento na freguesia vários projectos, entre os quais se destaca o projecto METAS, no âmbito do Programa ESCOLHAS, direccionado às crianças e adolescentes dos bairros, entre os quais se incluem as crianças do Aleixo. São acompanhados 34 crianças da Escola EB1 do Aleixo.

Além desse projecto, a ADILO é também responsável, através do Centro Comunitário pelo acompanhamento de 240 famílias beneficiárias do Rendimento Social de Inserção.

Apesar de tudo isso, apesar de todo os financiamentos públicos, de todos os apoios, os problemas sociais são aqueles que todos conhecemos e não se vislumbram melhorias.

Por essa razão, apontamos responsabilidades directas ao IDT que será culpado pelo que vier a suceder com as crianças, adolescentes e jovens deste bairro.

A nossa Associação tem presentemente dezenas de crianças e adolescentes que frequentam o nosso Centro de Actividades de Tempos Livres, que beneficiariam com as actividades educativas que iríamos promover caso a nossa candidatura fosse aprovada. Sem esse apoio e com o fim do ATL anunciado pela Segurança Social, perante o cenário e os problemas sociais que todos reconhecem existir neste bairro, a questão que se coloca é saber o que acontecerá a estas crianças.

Mais informamos que perante esta decisão, tomada pelo IDT, a Associação reservar-se no direito de a partir desta data tomar as medidas e atitudes que considere convenientes para defender os seus interesses e os interesses dos moradores.

Nesse sentido, afirmamos que estaremos contra a instalação de qualquer sala de chuto neste bairro, bem como nos desvinculamos de todo e qualquer trabalho de parceria.

Em conclusão: a zona ocidental do Porto, os bairros de Lordelo do Ouro, o Aleixo, vê-se mergulhado, cada vez, na miséria e por culpa de quem?

A resposta é simples: por culpa daqueles que embora tendo responsabilidade nada fazem pelos que mais precisam! São esses senhores que criam os guetos. Se fossem os seus familiares estamos certos que teriam outras preocupações!

Como é possível, com tantos projectos, tanto dinheiro gasto, que os resultados estejam à vista de todos. Afinal há quem diga que o trabalho social é para se ir fazendo! Então, aqueles que recebem bons ordenados que façam o que lhes compete. Não serão os dirigentes desta Associação, que voluntária e graciosamente trabalham neste bairro, que farão esse trabalho.

E, se o bairro do Aleixo ainda não bateu no fundo, muito se deve à nossa acção. Mas, depois disto, depois das últimas notícias, não saberemos qual será o futuro das crianças e jovens deste bairro.

 
A Direcção da APSPBA

publicado por portopctp às 19:29
link do post | comentar | favorito

.ligações

.posts recentes

. Viva o 1.º de Maio!

. Aos jovens

. Soares da Costa, ousar lu...

. Mulheres: uma metade do m...

. INÉRCIA - Palavra-chave t...

. Honra aos camaradas Ribei...

. 18 de Setembro de 1970

. Prosegur - a luta de clas...

. Casino da Póvoa de Varzim...

. Agrupamento de Escolas de...

. Bairros do IHRU de Guimar...

. STCP – Eutanásia empresar...

. Valadares - épreciso ganh...

. Transportes: resistência ...

. Não ao isolamento de Vila...

. A habitual falta de vergo...

. O desejo que tudo se esqu...

. A greve geral é parte ínt...

. SINDICALIZA-TE

. Carta aberta ao president...

. Casa do Povo de Recarei (...

. A demolição da escola pri...

. A novela das portagens da...

. Contra o pagamento de por...

. Vila d'Este - autarquias ...

. A intransigência habitual...

. Maconde: os restos...

. A intransigência habitual...

. SCUT's: a intransigência ...

. Pequenas coisas, uma gran...

.Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.pesquisar

 

.mais sobre mim

.assuntos

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds