PARTICIPA! ENVIA AS TUAS DENÚNCIAS PARA porto@pctpmrpp.org
Sábado, 23 de Fevereiro de 2008

"Cumprindo ordens" que até "poderiam ser ilegais"

Centenas de professores do ensino básico e secundário encontraram-se às 16 horas, convocados por SMS, em frente à câmara do Porto. Contra o desrespeito com que têm sido tratados pelo governo, contra o novo estatuto da carreira docente, contra a "nova" gestão escolar e contra as normas legais que o governo quer impor na avaliação do trabalho docente. Uma enorme  vontade de lutar foi manifestada.

Por volta das 17:45 horas, quando já a maior parte dos professores se tinham ido embora e apenas algumas dezenas rodeavam a imprensa presente que solicitava pequenas entrevistas, interveio a polícia: meia dúzia de agentes instaram professores, que tinham acabado de prestar declarações à imprensa, que se identificassem. Logo a maioria que estava presente se dispôs a dar a sua própria identificação mas não foi aceite pela polícia: queriam apenas a identificação de quem prestara declarações. Tratava-se de, "cumprindo ordens" que nas suas palavras até "poderiam ser ilegais", identificar os responsáveis "pela organização de  manifestação ilegal", na realidade fazer reféns, atemorizar e "dar uma lição" (recentemente um sindicalista foi condenado a 75 dias por "organizar manifestação ilegal" de trabalhadores que exigiam o pagamento de salários em atraso). Mas esses objectivos saíram gorados: a vontade, em vez de esmorecer, cresceu e a solidariedade para com os professores identificados ficou bem patente. 

Se nas circunstâncias de desprevenção em que se encontravam os professores, justificam perfeitamente o desfecho do acontecimento, a repetida táctica governamental de enviar a polícia para identificação de quem julgam (ou talvez não) ser responsável por manifestações contra o governo põe a questão da atitude que os trabalhadores devem assumir em resposta: dar ou não dar a identificação. Não dar é a resposta, pois é a liberdade de expressão que está a ser posta em causa.

LIBERDADE PARA O POVO!

 

publicado por portopctp às 22:31
link do post | comentar | favorito

.ligações

.posts recentes

. Viva o 1.º de Maio!

. Aos jovens

. Soares da Costa, ousar lu...

. Mulheres: uma metade do m...

. INÉRCIA - Palavra-chave t...

. Honra aos camaradas Ribei...

. 18 de Setembro de 1970

. Prosegur - a luta de clas...

. Casino da Póvoa de Varzim...

. Agrupamento de Escolas de...

. Bairros do IHRU de Guimar...

. STCP – Eutanásia empresar...

. Valadares - épreciso ganh...

. Transportes: resistência ...

. Não ao isolamento de Vila...

. A habitual falta de vergo...

. O desejo que tudo se esqu...

. A greve geral é parte ínt...

. SINDICALIZA-TE

. Carta aberta ao president...

. Casa do Povo de Recarei (...

. A demolição da escola pri...

. A novela das portagens da...

. Contra o pagamento de por...

. Vila d'Este - autarquias ...

. A intransigência habitual...

. Maconde: os restos...

. A intransigência habitual...

. SCUT's: a intransigência ...

. Pequenas coisas, uma gran...

.Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.pesquisar

 

.mais sobre mim

.assuntos

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds