PARTICIPA! ENVIA AS TUAS DENÚNCIAS PARA porto@pctpmrpp.org
Domingo, 20 de Janeiro de 2008

Por uma cidade viva!

Mesmo que a situação de conservação do mercado do Bolhão fosse outra, que garantisse a segurança dos utilizadores e as condições adequadas ao comércio de alimentos, os seus dias estariam contados, da mesma forma que estão hoje contados os dias do centro da cidade do Porto como centro de vida, caso nada seja feito. O doente tem salvação no seu próprio ser e é no mercado do Bolhão que está uma parte importante da solução, mas o que a câmara está a fazer apenas retarda a sua morte com sofrimento. Mesmo a solução anterior de recuperação do mercado, que é bastante melhor para a vida do centro da cidade que o negócio actual, se não for repensado no que respeita, pelo menos, ao transporte público de passageiros no local (prevê evitar que os autocarros façam a utilização da rua de Alexandre Braga), apenas retardará mais um pouco essa morte e aliviará, um pouco, o sofrimento. Talvez uma solução resida, quanto a essa questão, na transformação do previsto parque subterrâneo em terminal de autocarros e na criação de um serviço público de transporte de compras ao domicílio. Trata-se de saber se é ou não possível viver no centro do Porto, o que significa saber se é ou não possível viver aí sem automóvel privado mas de forma cómoda. Soluções para a vida do centro da cidade que não tenham em conta esta necessidade, só são possíveis mediante fortes "incentivos" que, mais tarde, serão incomportáveis e que alguém, "para salvar a cidade", eliminará. Já hoje está estabelecido um sistema de "incentivos" a pretexto de "recuperar" o centro da cidade. Mas não chegará. Amanhã virão com outro sistema ainda mais incomportável e, depois chegará o dia em que, a pretexto por exemplo, de acabar com a "subsídio-dependência", darão o golpe de misericórdia na vida do centro da cidade. Tudo em nome de um "bom governo", mas tudo contra os interesses da grande maioria dos  cidadãos e contra a continuação da sua cultura. Extripam uma, impõem outra que, julgam, lhes trará mais proveitos, e os cidadãos que sofram. Neste contexto, todas as iniciativas que visem travar o projecto de demolição do mercado do Bolhão são bem-vindas e apoiamo-las. Por isso apelamos a todos que, amanhã, DIA 21 A PARTIR DAS 20:30, na av. dos Aliados em frente à câmara, subscrevam o abaixo-assinado e apoiem o GESTO CÍVICO promovido pelo Movimento Cívico e Estudantil.

publicado por portopctp às 23:54
link do post | comentar | favorito

.ligações

.posts recentes

. Viva o 1.º de Maio!

. Aos jovens

. Soares da Costa, ousar lu...

. Mulheres: uma metade do m...

. INÉRCIA - Palavra-chave t...

. Honra aos camaradas Ribei...

. 18 de Setembro de 1970

. Prosegur - a luta de clas...

. Casino da Póvoa de Varzim...

. Agrupamento de Escolas de...

. Bairros do IHRU de Guimar...

. STCP – Eutanásia empresar...

. Valadares - épreciso ganh...

. Transportes: resistência ...

. Não ao isolamento de Vila...

. A habitual falta de vergo...

. O desejo que tudo se esqu...

. A greve geral é parte ínt...

. SINDICALIZA-TE

. Carta aberta ao president...

. Casa do Povo de Recarei (...

. A demolição da escola pri...

. A novela das portagens da...

. Contra o pagamento de por...

. Vila d'Este - autarquias ...

. A intransigência habitual...

. Maconde: os restos...

. A intransigência habitual...

. SCUT's: a intransigência ...

. Pequenas coisas, uma gran...

.Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.pesquisar

 

.mais sobre mim

.assuntos

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds