PARTICIPA! ENVIA AS TUAS DENÚNCIAS PARA porto@pctpmrpp.org
Segunda-feira, 30 de Julho de 2007

PRESIDENTE DA JUNTA DE LORDELO DO OURO OBCECADO COM O BAIRRO DO ALEIXO

Da direcção da APSPBA recebemos cópia de comunicado  aos órgãos de comunicação social   -   emitido perante as declarações do Presidente da Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro, Dr. Alberto Lima, publicadas na edição de sábado, dia 28 de Julho, do Jornal de Notícias, a respeito do encerramento da Escola doAleixo  - que passamos a transcrever na íntegra:

Como dizia o outro, a fixação do Presidente da Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro relativamente ao Aleixo é uma obsessão.

Sedento de protagonismo, ambicioso e diligente em agradar às cúpulas do seu partido, o Presidente da Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro aproveita todas as oportunidades para agradar aos seus chefes.

Agora, é o encerramento da Escola, antes a questão da demolição (desmantelamento) do Aleixo.

Estranhamente, ou nem por isso, desde que veio habitar o empreendimento de luxo que se situa nas cercanias do nosso bairro, o Dr. Alberto Lima alterou o seu discurso relativamente ao Aleixo. Se antes era um dos seus defensores, agora aparece como sendo um dos seus carrascos. Antes, durante a campanha eleitoral de 2001 e durante o mandato que se lhe seguiu, defendeu com unhas e dentes o Aleixo, lutou contra as propostas de demolição, o que granjeou o apoio e a nossa simpatia.

Neste segundo mandato, em sintonia com os propósitos mais ou menos escusos do executivo camarário, surge apostado na demolição do Aleixo.

No artigo publicado sábado passado, no Jornal de Notícias, apregoa novamente o seu objectivo de demolir o Aleixo. Não perde uma oportunidade para agradar aos chefes.

Que triste espectáculo! Como é triste assistir a esta mudança repentina de opinião! Mas, afinal todos temos um preço.

Sobre a Escola do Aleixo, o Presidente da Junta virou profeta e anteviu a decisão da DREN. Prevê uma inversão neste processo. Mas, se calhar, não é preciso ser adivinho para acertar na decisão da DREN. Estamos certos que a DREN, em 2007, decidirá como decidiu em 2004, precisamente na altura cujo director regional de educação do Norte era S. Exa. o Eng. Lino Ferreira, nomeado para esse cargo pelo PSD e actual vereador do urbanismo na Câmara do
Porto.

Em 2004, como hoje, em 2007, encerrar a escola do Aleixo será um erro técnico do ponto de vista pedagógico que ninguém com decência quer cometer.

Em 2004, apesar de uma enorme conjugação de vontades - não devemos esquecer que nessa altura a CMP e a Junta de Freguesia já propunham o encerramento da Escola do Aleixo - a DREN liderada pelo social-democrata Lino Ferreira não soçobrou perante tais pressões e tomou a decisão que se impunha: MANTER A ESCOLA EM FUNCIONAMENTO.

Em 2007, o chorrilho de falsos argumentos pode ser repetido vezes sem conta que a decisão final só poderá ser a mesma.

Quanto ao desinvestimento camarário na Escola do Aleixo, como se vê, é o próprio Presidente da Junta que também o confirma (apesar de mesmo assim confundir despesas de investimento com despesas de manutenção): o executivo autárquico não gasta um cêntimo na escola do Aleixo desde que tomou posse em 2002. A Junta de Freguesia tem substituído alguns vidros, embora seja falso que todos os vidros da escola sejam em acrílico e que tal tarefa se realize diariamente. Aliás, o Presidente da Junta devia revelar, por justiça, se também não substitui vidros nas outras escolas da freguesia.

Por último, ainda sobre a Escola do Aleixo e sobre a Carta Educativa, o Presidente da Junta deveria estar, isso sim, preocupado com a proposta de encerramento da Escola da Ponte, nos próximos três anos. A Escola da Ponte, localizada nesta freguesia (em Lordelo do Ouro) é um exemplo de sucesso. O Presidente da Junta deveria falar aos jornais era sobre esse assunto e
condenar o seu encerramento.

O seu silêncio, como também dizia o outro, é ensurdecedor!

Em relação aos elevadores constantemente avariados, tal deve-se ao material que é fraco. A Câmara do Porto e a Junta de Freguesia deveria preocupar-se em resolver os problemas, ao invés de se desculpar com as constantes acusações de vandalismo.

Porto e sede da APSPBA, 30 de Julho de 2007

A Direcção da APSPBA.

publicado por portopctp às 18:18
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.ligações

.posts recentes

. Viva o 1.º de Maio!

. Aos jovens

. Soares da Costa, ousar lu...

. Mulheres: uma metade do m...

. INÉRCIA - Palavra-chave t...

. Honra aos camaradas Ribei...

. 18 de Setembro de 1970

. Prosegur - a luta de clas...

. Casino da Póvoa de Varzim...

. Agrupamento de Escolas de...

. Bairros do IHRU de Guimar...

. STCP – Eutanásia empresar...

. Valadares - épreciso ganh...

. Transportes: resistência ...

. Não ao isolamento de Vila...

. A habitual falta de vergo...

. O desejo que tudo se esqu...

. A greve geral é parte ínt...

. SINDICALIZA-TE

. Carta aberta ao president...

. Casa do Povo de Recarei (...

. A demolição da escola pri...

. A novela das portagens da...

. Contra o pagamento de por...

. Vila d'Este - autarquias ...

. A intransigência habitual...

. Maconde: os restos...

. A intransigência habitual...

. SCUT's: a intransigência ...

. Pequenas coisas, uma gran...

.Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.pesquisar

 

.mais sobre mim

.assuntos

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds